o som e a fúria


Os anos de expectativa pela leitura de O Som e a Fúria não atrapalharam a experiência em nada, é um imenso romance, um desvelar incessante de virtuosismos, uma experiência de imersão como poucas. O problema, se algum, é mais ou menos esse. Se trata de um autor apaixonado pela obra de outro (não ver Joyce aqui é ser cego), fazendo toda sorte de malabarismo estético para transformar uma história francamente banal em algo grandioso. Funciona, mas não sem custo.

O Som e a Fúria, soa refém de suas próprias escolhas, e não raro se vê limitado ao ‘livro mais difícil de ler’, quando na verdade é bem mais do que isso; é um belo estudo sobre o tempo, sobre desejo, sobre caráter, e ainda tem uma das construções de vilão mais curiosas que já li. No mais, se o interesse é pelo autor, Enquanto Agonizo talvez seja um ponto de partida mais palatável.

O Som e a Fúria (★★★★)
William Faulkner, Estados Unidos, 1929 / Companhia das Letras